É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.
OS JUDEUS SÃO OS QUE SABEM QUEM É JUDEU E QUEM NÃO O É.
É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

http://www.pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm


______________________________________________________________________________


[Blog (todo) revisado em 17/10/13.]

"[Em breve,] toda a Terra estará repleta do conhecimento de HASHEM, assim como as águas cobrem o mar."
- Ieshaiáhu (Livro Judaico do Profeta Judeu Isaías) 11:9

A vida é um aprendizado para todos, sem exceção, sempre, e para sempre. E se aprende ou pelo amor ou pela dor.
- O Blog

"O judaísmo identifica-se como um ato de D-us na história da humanidade."
- Herman Wouk

"Os 10 Mandamentos foram uma revelação única na história da humanidade. [Ela foi] ouvida por todo o povo judeu (aproximadamente 3 milhões de pessoas) aos pés do Monte Sinai ... . Israel é o povo que revela a vontade de D-us. Tem por tarefa e objetivo ser o coração da humanidade, uma fonte de vida espiritual para os outros povos."
- Raphael Shammaho

"Feliz é a nação cujo D-us é HASHEM, o povo que 'ELE' escolheu para Sua propriedade. Pois D-us escolheu Yaacov para SI, Israel como Seu tesouro. Feliz é o povo cujo D-us é HASHEM."
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 33:12; 135:4; 144:15

"Envia Tua luz e Tua verdade, que elas me conduzam; elas me trarão ao monte do Teu Santuário [o Judaísmo] e às Tuas moradas [os judeus]. Então ... eu Te louvarei ..., ó D-us, meu D-us!"
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 43:3, 4

sábado, 7 de janeiro de 2012

O INCORPÓREO E INIMAGINÁVEL D-US: HASHEM

HASHEM é como se pronuncia o Tetragrama Divino (Y-H-V-H), A REFERÊNCIA ou ALUSÃO (normalmente chamado de NOME) Particular da DIVINDADE Absoluta, O AQUILO INFINITO, que é um "nome" neutro (não-masculino e não-feminino).
HASHEM é O AQUILO TODO-INFINITO. TODO-INFINITO significa Infinito de todas as maneiras. Por exemplo, a existência de HASHEM é Infinita, a sabedoria de HASHEM é Infinita, o poder de HASHEM é Infinito, etc.
Deve-se ter em mente que quaisquer palavras que se use em referência a HASHEM são alegóricas e insuficientes. Ainda assim é possível discernir alguns atributos de HASHEM.
Muitas pessoas não se dão conta, mas quando se diz que HASHEM é TODO-INFINITO, está-se dizendo primeiramente que AQUILO INFINITO não tem corpo. Corpo é uma coisa que foi criada, formada (que tem forma), e que é limitada, finita. TODO-INFINITO quer dizer exatamente o contrário, Incriado, Sempiterno, Ilimitado, Infindável... . Portanto, O AQUILO INFINITO não tem corpo.
Não tendo O AQUILO INFINITO corpo, isso significa que O AQUILO INFINITO não tem nenhum tipo de forma (figura, aparência, imagem). Por isso, dar forma ao AQUILO INFINITO, qualquer que seja, constitui idolatria.
Se O AQUILO INFINITO não tem corpo nem forma, isso só pode significar, e, de fato, significa que O AQUILO INFINITO não é pessoa e nem é humano. O AQUILO INFINITO nunca foi humano e nunca o será. E, consequentemente, nenhum humano é O AQUILO INFINITO, nunca O foi e nunca O será.
Não sendo O AQUILO INFINITO humano, isso também significa que O AQUILO INFINITO não é homem. Como foi dito acima, O "NOME" do AQUILO INFINITO, o Tetragrama, é um "nome" neutro, nem masculino e nem feminino. Obviamente que se O AQUILO INFINITO não tem corpo e nem forma, O AQUILO INFINITO também não tem gênero, O AQUILO INFINITO não é macho e nem é fêmea (e não é homem e nem é mulher). É verdade que HASHEM é tratado com termos masculinizados, mas se quiser tratá-LO com termos feminilizados, não existe nenhuma objeção, nenhuma proibição (bíblica), quanto a isso (“ELA”, MÃE, RAINHA, ETERNA, CRIADORA, D-USA, SENHORA, INFINITA, TODA-PODEROSA, JUÍZA, SANTÍSSIMA...). Mas por que, então, o Tanach (Bíblia Judaica) trata a HASHEM com termos masculinizados em vez de termos feminilizados? Certamente não por machismo (só pensa isso quem realmente não entende NADA do judaísmo e do Tanach).
Segundo o judaísmo, HASHEM é tanto Transcendente quanto Imanente.
A transcendência de HASHEM está associada a termos masculinizados, enquanto a imanência de HASHEM está associada a termos feminilizados.
Portanto, nada mais natural que o judaísmo, através do seu Tanach (Bíblia Judaica), primeiramente apresente HASHEM (ao mundo) em termos masculinizados, ou seja, como O AQUILO INFINITO Transcendente, O TODO-INFINITO CRIADOR, que está além de nós. Para só então revelar HASHEM (ao mundo) em termos feminilizados, ou seja, como O AQUILO INFINITO Imanente, a SHECHINÁ, que está dentro de nós (dentro de tudo).
Portanto, sendo TODO-INFINITO, O AQUILO INFINITO não tem corpo e, consequentemente, O AQUILO INFINITO não tem (nenhum tipo de) forma e, consequentemente, O AQUILO INFINITO não é pessoa, O AQUILO INFINITO não é humano, O AQUILO INFINITO não é homem. O AQUILO INFINITO é HASHEM, e HASHEM não é nem masculino (macho) e nem feminino (fêmea). O AQUILO INFINITO, HASHEM, não é de maneira nenhuma imaginável. O AQUILO INFINITO, HASHEM, é O  AQUILO INIMAGINÁVEL.
A natureza do AQUILO INFINITO, HASHEM, não pode ser compreendida por qualquer outro ser que não seja “ELE” Mesmo. Somente O AQUILO INFINITO, HASHEM, conhece a SI Mesmo. Por isso, HASHEM, O AQUILO INFINITO, é ÚNICO, UM SÓ.