É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.
OS JUDEUS SÃO OS QUE SABEM QUEM É JUDEU E QUEM NÃO O É.
É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

http://www.pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm


______________________________________________________________________________


[Blog (todo) revisado em 17/10/13.]

"[Em breve,] toda a Terra estará repleta do conhecimento de HASHEM, assim como as águas cobrem o mar."
- Ieshaiáhu (Livro Judaico do Profeta Judeu Isaías) 11:9

A vida é um aprendizado para todos, sem exceção, sempre, e para sempre. E se aprende ou pelo amor ou pela dor.
- O Blog

"O judaísmo identifica-se como um ato de D-us na história da humanidade."
- Herman Wouk

"Os 10 Mandamentos foram uma revelação única na história da humanidade. [Ela foi] ouvida por todo o povo judeu (aproximadamente 3 milhões de pessoas) aos pés do Monte Sinai ... . Israel é o povo que revela a vontade de D-us. Tem por tarefa e objetivo ser o coração da humanidade, uma fonte de vida espiritual para os outros povos."
- Raphael Shammaho

"Feliz é a nação cujo D-us é HASHEM, o povo que 'ELE' escolheu para Sua propriedade. Pois D-us escolheu Yaacov para SI, Israel como Seu tesouro. Feliz é o povo cujo D-us é HASHEM."
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 33:12; 135:4; 144:15

"Envia Tua luz e Tua verdade, que elas me conduzam; elas me trarão ao monte do Teu Santuário [o Judaísmo] e às Tuas moradas [os judeus]. Então ... eu Te louvarei ..., ó D-us, meu D-us!"
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 43:3, 4

domingo, 23 de dezembro de 2012

Aprendendo do Judaísmo: 5


O que significa que 'D-us é UM SÓ'? Existe intermediário divino entre D-us e a humanidade? D-us tem inimigo(s)? Quem é idólatra?

 ' "Escuta, Israel! Hashem é nosso D-us, Hashem é UM SÓ!" (Devarim [Deuteronômio] 6:4) Quando dissemos que D-us é Único, não basta entender que a Sua existência é única e que nada há que se Lhe possa assemelhar; precisamos entender mais, que não há outra força nem outro poder, pois somente "ELE" detém e é a origem de toda força e de todo o poder que existe no mundo. A não ser "ELE", não há outro condutor para este mundo. Também não há para "ELE" nenhum impedimento ou proibição, pois Seu controle é supremo e único[:] "Vede agora que (...) Eu faço morrer e faço viver; Eu firo e Eu saro, e não há quem possa livrar de Minha mão os que pecam contra Mim." (Devarim [Deuteronômio] 32:39)
 Existem vários tipos de idólatras. O primeiro deles acha que os astros e as estrelas supervisionam os assuntos mundanos.
 O segundo tipo afirma (D-us nos livre!) que há dois poderes, um bom e um mau, e que, se D-us é a fonte do bem, há outra entidade que é a fonte do mal.
 Um terceiro grupo pensa que tudo depende da sorte e do acaso, e que é a natureza que governa tanto para o bem quanto para o mal.
 Um quarto grupo é composto por não-judeus que afirmam que o povo de Israel pecou e, em consequencia disso, o Criador se viu obrigado a abandonar este povo [o povo de Israel] e trocá-lo por outro [os jesusistas e yeshuanistas, ou os maometistas, ou os kardecistas.]
 Um quinto grupo é constituído pelos ímpios do povo de Israel - aqueles que reconhecem Hashem, mas se revoltaram contra "ELE", pois eles pensam que podem agir contra o Criador - D-us nos livre!
 Aquele que acredita e compreende o conceito da unicidade Divina deve crer, com toda a força de seu coração e de sua mente, que o Criador é Único e Exclusivo, não havendo quem O impeça de fazer algo ou O restrinja sob qualquer aspecto. Este sabe que somente "ELE" governa toda a Criação e nem lhe ocorre pensar que possa existir alguma entidade que seja Seu inimigo ou aja em oposição às Suas determinações - D-us nos livre! Somente "ELE" cria o bem e o mal, conforme está escrito no profeta Ieshaiáhu (Isaías) 45:7: "Eu formo a luz e crio a escuridão; faço a paz e sou Eu quem cria o mal; Eu sou Hashem que tudo faz."
 Não há outro como Seu auxiliar. Tampouco existe uma segunda força, conforme pensam os idólatras. Não só "ELE", Sozinho, supervisiona todas as criaturas, como realiza essa supervisão de forma contínua e especial, não havendo nada no mundo que nasça ou exista sem ser por Sua vontade. A Criação não depende do acaso, da natureza nem da sorte. Somente "ELE" é o Juiz de toda a terra e de tudo que nela há; é "ELE" quem determina o que vai acontecer com todas as criaturas, das mais elevadas até as mais elementares.
 Devemos compreender e acreditar firmemente que, não dependendo o Criador dos atos de quem quer que seja, nenhuma criatura poderá efetivamente se revoltar contra "ELE". Quando dizemos que D-us é Único, queremos dizer que "ELE" governa sobre tudo e sobre todos. Descobrimos que Sua perfeição não é passível de limites, o que nos faz entender que não há outro como "ELE" e nem contra "ELE". '
- Rabino Moshe Chaim Luzzatto, em "A Sabedoria da Alma", Editora e Livraria Sêfer, 2008, páginas 27 a 31, 34.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Aprendendo do Judaísmo: 4


"O Salmista disse: "O tolo diz no seu coração: não há D-us" (Salmos 14:1; 53:2). O que a Bíblia Judaica quer dizer é que aquele que não acredita em D-us é estúpido e cego. Diz que não há D-us porque é um tolo. Ele é cego demais para ver D-us em toda parte ao seu redor; ou então é egoísta demais para compartilhar seu próprio mundo com Seu Criador.
A Bíblia Judaica não perde tempo tentando convencer o ateu de que ele está errado. Ele é considerado um tolo, estúpido demais para entender, ou perverso demais para querer entender."


- Rabino Aryeh Kaplan, em "A Luz Infinita: Um livro sobre Deus", Editora Colel Torá Temimá do Brasil, 1993, páginas 19 e 20.

Aprendendo do Judaísmo: 3

" A revelação do Monte Sinai - a única revelação Divina testemunhada pela humanidade." - Rabino Raphael Shammah

Aprendendo do Judaísmo: 2


"Se uma pessoa acredita em D-us, que necessidade tem ela de [acreditar em algum intermediário]? A resposta que alguns não-judeus dão é que, por ser tão elevado, D-us é inacessível sem um intermediário. [Porém,] o segundo Mandamento [("Não terás outros deuses diante de Mim" (Êxodo 20:3)] nos ensina que também isto constitui idolatria. (O grifo em negrito é nosso.)
D-us é infinito. Dizer que Ele precisa de um mediador para ouvir nossas preces é negar Sua infinita sabedoria.
Portanto, um dos fundamentos de nossa fé é acreditar que toda oração deve ser dirigida diretamente a D-us."


- Rabino Aryeh Kaplan, em "A Luz Infinita: Um livro sobre Deus", Editora Colel Torá Temimá do Brasil, 1993, página 33.

Aprendendo do Judaísmo: 1

"É possível um homem estar cheio e repleto da sabedoria da Torá - e não conhecer a D-us! Se é assim, é uma incumbência de cada um parar, avaliar a si mesmo e certificar-se de que a Torá que ele estuda é de fato Torá com coração (...), um coração que queira verdadeiramente se preencher com Torá e cumpri-la (...,) um coração que almeje fazer as vontades do meu Pai Celestial." -- Rabino Avigdor Halevy Neventsal