É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.
OS JUDEUS SÃO OS QUE SABEM QUEM É JUDEU E QUEM NÃO O É.
É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

http://www.pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm


______________________________________________________________________________


[Blog (todo) revisado em 17/10/13.]

"[Em breve,] toda a Terra estará repleta do conhecimento de HASHEM, assim como as águas cobrem o mar."
- Ieshaiáhu (Livro Judaico do Profeta Judeu Isaías) 11:9

A vida é um aprendizado para todos, sem exceção, sempre, e para sempre. E se aprende ou pelo amor ou pela dor.
- O Blog

"O judaísmo identifica-se como um ato de D-us na história da humanidade."
- Herman Wouk

"Os 10 Mandamentos foram uma revelação única na história da humanidade. [Ela foi] ouvida por todo o povo judeu (aproximadamente 3 milhões de pessoas) aos pés do Monte Sinai ... . Israel é o povo que revela a vontade de D-us. Tem por tarefa e objetivo ser o coração da humanidade, uma fonte de vida espiritual para os outros povos."
- Raphael Shammaho

"Feliz é a nação cujo D-us é HASHEM, o povo que 'ELE' escolheu para Sua propriedade. Pois D-us escolheu Yaacov para SI, Israel como Seu tesouro. Feliz é o povo cujo D-us é HASHEM."
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 33:12; 135:4; 144:15

"Envia Tua luz e Tua verdade, que elas me conduzam; elas me trarão ao monte do Teu Santuário [o Judaísmo] e às Tuas moradas [os judeus]. Então ... eu Te louvarei ..., ó D-us, meu D-us!"
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 43:3, 4

segunda-feira, 17 de março de 2014

O Tema do suposto "diabo" e o mal (vários tópicos por Moré Gilberto Venturas)


10 de novembro de 2013
MEDO DO DIABO? DEIXA DISSO, RAPAZ!!!!!

(leia e reflita!)


Quando você se der conta de que o mal é simples fruto de ESCOLHAS ERRADAS, feitas por seres humanos com LIVRE ARBÍTRIO, como você, e não resultado de ações de seres espirituais maléficos, vai entender que a construção de uma realidade melhor ESTÁ EM NOSSAS MÃOS!

É só fazermos as escolhas certas, SEM TERCEIRIZAÇÃO de culpas e de responsabilidades!

Mas e Lúcifer? - Alguns perguntarão - Ele não é o deus do mau? Não é ele que faz as pessoas agirem de forma errada?

A resposta é tão simples, que a pergunta nem deveria existir:

O conceito de Lúcifer, é resultado de uma COMPREENSÃO DETURPADA de versículos do profeta Isaías.

No trecho tratado*, o profeta, relatando a queda do REI DA BABILÔNIA, (um ser humano normal) chama-o de Helil Shahar*, que significa ESTRELA DA MANHÃ. Já a tradução tradicional (não judaica) chamou-o de Lúcifer (portador da Luz) que na sequência acabou sendo identificado como deus, ou anjo do mau, figura inexistente no judaísmo!

Na tradição judaica EXISTE SOMENTE O ETERNO, no mais, há somente criações que servem a Seus PROPÓSITOS EDIFICANTES!

Esta regra serve também para o Satan (Traduzido como Satanás) força criada por Ele para permitir o erro ao ser humano, de modo que venha a ter LIVRE ARBÍTRIO, e portanto, MÉRITO em seus ACERTOS!

A SUBMISSÃO desta força ao Eterno é FACILMENTE identificada no início do Livro de Jó*.

Para concluir este texto, o qual dedico àqueles que querem conhecer de verdade as fontes judaicas, SEM INTERFERÊNCIAS, cito o versículo 7 do capítulo 45 de Isaías, que diz:

"Eu formo a luz e crio a escuridão. Faço a paz e CRIO O MAL. EU SOU O ETERNO QUE TUDO FAZ!"

Concluindo:

De acordo com as fontes judaicas NÃO HÁ dEUS OU ANJO DO MAU, a quem devamos temer, ou culpar, por nossas ações!

NOSSAS AÇÕES SÃO NOSSAS e portanto, suas consequências também! Caso contrário, não teríamos livre arbítrio e não poderíamos nunca ser responsabilizados por nossos erros!

CHEGA DE TERCEIRIZAÇÃO DE RESPONSABILIDADES! Vamos fazer jus a nossa existência, fazendo as escolhas corretas e BENEFICIANDO ASSIM, TODA A HUMANIDADE E A CRIAÇÃO!

Abs! MoreVentura!

Tamo Junto!

Curtiu? Dá um Like!


-------------------------------------------------------------------------------------------------------------




MESSIAS X DIABO

1-Quem é o Messias no judaísmo?
2-O judaísmo acredita em Diabo?


Hoje recebi estas duas questões, uma seguida da outra e enquanto meditava sobre a coincidência, percebi que de certa forma as duas estão conectadas, pois ambas tratam de assuntos ligados à responsabilidade dos seres humanos por seus atos, ou a terceirização da mesma.

De acordo com o judaísmo o ser humano é responsável por suas ações, tanto positivas, quanto negativas, não existindo a figura do diabo, como responsável por sua queda e nem a do Messias, como alguém que vem pagar pelos seus pecados.

A palavra Satan, nome dado ao “diabo” no judaísmo, significa “Desviador”, pois sua função, ordenada pelo Criador, é a de apresentar possibilidades erradas ao homem, de modo que este tenha liberdade para escolher, o que é certo ao invés do errado, mostrando assim, que seu apego ao Criador é por opção e não devido à falta dela.
Isto está bem ilustrado nas palavras de Isaias, nas quais o profeta se refere ao Criador como Aquele que “Forma a Luz e cria as trevas, faz a paz e cria o mau” – O Eterno cria o mau para realçar a importância e a existência do Bem e para dar ao homem a liberdade de fazer as escolhas certas!
Quanto ao Messias, ou Mashiach – Ungido – em hebraico, sua função, de acordo com o judaísmo, é a de instaurar uma nova era na qual a humanidade estará apta para viver de acordo com sua consciência espiritual e Divina. Os caminhos para chegarmos a esta era podem ser variados, mas um ponto é claro: Devemos assumir a RESPONSABILIDADE por nossos atos, de modo que a era messiânica seja uma CONSEQUENCIA de nossa evolução e não algo imposto de cima para baixo.O versículo 15 do salmo de número 115 pode ilustrar bem esta ideia, pois afirma: “Não façam o mal para meus Messias – Ungidos – E não prejudiquem meus profetas…”
A tradição judaica explica que os “Messias” do versículo são as crianças que estudam a Torah, pois são elas, (e todos os que praticam o bem), que preparam o caminho para a tão sonhada época.
Concluindo: De acordo com o judaísmo a ênfase na responsabilidade humana – Independentemente de origem ou de etnia – é um ponto central, pois somente quando assumimos a responsabilidade por nossos atos, certos e errados, desenvolvemos nosso potencial espiritual, tornando-nos dignos de sermos chamados de Filhos do Eterno!

Abs! MoreVentura! Compartilhe!




---------------------------------------------------------------------------------------------------------





25 de maio de 2013
PARAÍSO: SALVAÇÃO OU MERECIMENTO?



Rabino More Ventura, sempre tive dúvidas sobre um assunto chamado: Paraíso.

Como vim de outro meio religioso, sempre tive a convicção de que a conquista do mundo vindouro não vem do homem, pois teríamos algo chamado: GRAÇA DIVINA, por tanto, nada podemos fazer. Mas ultimamente venho estudando, e percebi que merecemos de fato o Olam Habba (Paraíso - Mundo vindouro).

A pergunta é: Merecemos o mundo vindouro? fazemos por nossas próprias obras, ou é o Eterno que se compadece?

Shavua Tov do seu amigo Jonas.

Resposta

Caro amigo, o mesmo conceito da "Graça" que você citou, encerra também o conceito da desgraça, ou seja, da permanência no INFERNO ETERNO. A diferença entre estas duas realidades reside apenas na crença ou na descrença em um item da fé, que independe do crescimento espiritual do indivíduo, de seu desenvolvimento e de suas AÇÕES.

De acordo com o judaísmo, porem, sendo que a relação na qual cremos é a de Pai/Filhos - Mestre/Educandos, a maior "Graça" que um ser humano pode alcançar é aquela que traz honra ao pai e ao mestre, ou seja, a da evolução e do desenvolvimento do indivíduo.

Concluindo: O judaísmo crê na graça, mas não naquela que não eleva o agraciado, mas sim naquela que agracia o indivíduo de modo que possa ser considerado merecedor e dono de seu próprio bem, como um aluno que com a ajuda do mestre aprende a matéria e por isso, passa de ano.

Em Resumo: Graça sim! De graça Não!
Um grande - e merecido - abraço!

MoreVentura! Judaísmo é Atitude!

Rabino More Ventura! Judaísmo é atitude!

----------------------------------------------------------------------------------------------------------





3 de abril de 2013
Quando falo que o mal não existe em essência, vejo que incomodo a muitos. O motivo é simples:

O maniqueísmo e o dualismo, D'us e Diabo, no qual creem, (msm de modo inconsciente), não faz parte do monoteísmo absoluto, mas isto eles ignoram...

NÃO HÁ NADA ALÉM DELE!!!!
M.Ventura.