É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.
OS JUDEUS SÃO OS QUE SABEM QUEM É JUDEU E QUEM NÃO O É.
É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

http://www.pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm


______________________________________________________________________________


[Blog (todo) revisado em 17/10/13.]

"[Em breve,] toda a Terra estará repleta do conhecimento de HASHEM, assim como as águas cobrem o mar."
- Ieshaiáhu (Livro Judaico do Profeta Judeu Isaías) 11:9

A vida é um aprendizado para todos, sem exceção, sempre, e para sempre. E se aprende ou pelo amor ou pela dor.
- O Blog

"O judaísmo identifica-se como um ato de D-us na história da humanidade."
- Herman Wouk

"Os 10 Mandamentos foram uma revelação única na história da humanidade. [Ela foi] ouvida por todo o povo judeu (aproximadamente 3 milhões de pessoas) aos pés do Monte Sinai ... . Israel é o povo que revela a vontade de D-us. Tem por tarefa e objetivo ser o coração da humanidade, uma fonte de vida espiritual para os outros povos."
- Raphael Shammaho

"Feliz é a nação cujo D-us é HASHEM, o povo que 'ELE' escolheu para Sua propriedade. Pois D-us escolheu Yaacov para SI, Israel como Seu tesouro. Feliz é o povo cujo D-us é HASHEM."
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 33:12; 135:4; 144:15

"Envia Tua luz e Tua verdade, que elas me conduzam; elas me trarão ao monte do Teu Santuário [o Judaísmo] e às Tuas moradas [os judeus]. Então ... eu Te louvarei ..., ó D-us, meu D-us!"
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 43:3, 4

sábado, 15 de agosto de 2015

Sete mitsvot que unem a humanidade




BS"D

Sete mitsvot que unem a humanidade

Nos Estados Unidos, Japão, Filipinas, Grã Bretanha, França, Turquia e ainda em mais países no mundo, o tema vai tomando impulso. A humanidade descobre mais e mais este quadro de fé, que está de acordo com toda a Criação. A consequência é que o número de pessoas que aceitam como base de suas vidas os 7 preceitos universais de Noé vai aumentando. Há que se indicar que, embora estes mandamentos sejam denominados de "Noé", 6 destes 7 foram entregues a Adam, o primeiro homem, mais de 1600 anos antes de Noé. As 6 mitsvot que recebeu Adam no dia de sua Criação estando no Gan Eden são as seguintes:

1. Avodah Zarah עֲבוֹדָה זָרָה
Proibição de idolatria;

2. ‘Birchat’ (Kilelas) HaShem בִּרְכַּת הַשֵׁם
Proibição de maldizer o nome de D'us;

3. Shefichat Damim שְׁפִיכוּת דָּמִים
Proibição de derramamento de sangue (Assassinato);

4. Gilui Arayot גִּלּוּי עֲרָיוֹת
Proibição de relações sexuais indevidas;

5. Gezel גָּזֵל
Proibição de roubo;

6. Dinim דִּינִים
Leis. A obrigação de estabelecer tribunais de leis que velem pela justiça e mantenham tanto a retidão como a moralidade humanas em conformidade com as Sete Leis Universais.

Estas leis foram ordenadas a Adam, o primeiro homem. A degradação da humanidade a que se chegou na época de Noé, trouxe o dilúvio e o extermínio quase total da população mundial. De novo surgiu a necessidade de transmitir e esclarecer aos "filhos de Noé" - a nova humanidade que sobreviveu ao dilúvio - a importância deste quadro de mitsvot, entregue ao homem pelo Criador bendito Seja. Agora se agrega a Noé uma mitsvá adicional, a sétima mitsvá, chamada "Ever Min HaChai אֵבָר מִן הֶחָי" (Proibição de comer um membro de um animal vivo) que inclue a obrigação de ter uma relação apropriada com todos os seres vivos no ambiente humano. É natural pensar que depois do dilúvio a humanidade progrediria intelectualmente e conduziria uma vida baseada nestes 7 mandamentos, mas novos pecados como o da geração da dispersão mundial, quando se construiu a torre de Babel como escudo contra O Criador do mundo, mostraram que estas sete mitsvot ainda não haviam sido atendidas.
Na entrega da Torá no ano hebraico 2448 (1312 antes da era comum), ocorreu uma mudança essencial. Pela primeira vez na história, toda a humanidade escutou O Criador do mundo ordenando as bases do desenvolvimento de uma sociedade. "Quando D'us deu a Torá, nenhum pássaro cantou, nenhuma vaca mugiu, as criaturas não falaram, o mundo se silenciou e surgiu a Voz Divina: "EU SOU D'us, TEU D'us" ", do primeiro mandamento. As 7 mitsvot de Noé se ancoraram nos dez mandamentos. O falar Divino se naturalizou nas 7 mitsvot noachidas como base espiritual de todo homem sobre a face da terra. Simplesmente agora se implantou na alma da Criação de todo homem que está proibido matar, proibido roubar, etc.
A expressão da Halachá - a lei judaica do Shulchan Aruch - desta nova constituição que são as 7 mitsvot noachidas se encontra no livro de leis de Maimônides, o Mishne Torá, dentro das leis de reis do último tomo desta obra: "Ordenou Moisés, nosso mestre, da boca Divina, impor às nações do mundo o cumprimento das 7 mitsvot que foram dadas aos descendentes de Noé". Milhares de anos se passaram desde então, e no decorrer da história não se dava a possibilidade de influenciar os "goim" - as nações - para que aceitassem as 7 mitsvot noachidas, era perigo de vida para um judeu tentá-lo, pois era tomado como uma incitação de conversão de religião.
Sobre o rei Mashiach está dito que ele provocará que toda a humanidade aceite os 7 preceitos de Noé, tal qual enuncia Maimônides: "Corrigirá o mundo para que sirvam a D'us unidos, como diz o versículo, "Então converterei as nações para que invoquem todas o nome de D'us, e O sirvam em união". Vemos este processo totalmente revelado na atualidade com a campanha de 7 mitsvot iniciada pelo Rebe de Lubavitch para transmitir às nações a informação e estimulá-las a seu cumprimento.
Hoje, existem enormes atividades sobre o tema, através de diversas organizações de Chabad Lubavitch no mundo para aproximar os povos à verdade Divina. Nas últimas semanas, dezenas de homens públicos, com cargos governamentais, e líderes religiosos do mundo, incluindo assombrosamente pessoas do mundo islamo-árabe, como beduinos, drusos, etc, firmaram uma ata de reconhecimento das 7 mitsvot, honrando o chamado do Rebe de Lubavitch sobre o tema, como único caminho para a paz verdadeira e a solidificação da vinda do Mashiach.

(VIENEMACHIAJ.)

Traduzido do espanhol por 
"Bnei Noach"/"Noahides"/"Noa[rri]das" estudando a bíblia JUDAICA ou Tanach (obviamente, de acordo com o Judaísmo).

Mashiach já.