É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.
OS JUDEUS SÃO OS QUE SABEM QUEM É JUDEU E QUEM NÃO O É.
É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

http://www.pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm


______________________________________________________________________________


[Blog (todo) revisado em 17/10/13.]

"[Em breve,] toda a Terra estará repleta do conhecimento de HASHEM, assim como as águas cobrem o mar."
- Ieshaiáhu (Livro Judaico do Profeta Judeu Isaías) 11:9

A vida é um aprendizado para todos, sem exceção, sempre, e para sempre. E se aprende ou pelo amor ou pela dor.
- O Blog

"O judaísmo identifica-se como um ato de D-us na história da humanidade."
- Herman Wouk

"Os 10 Mandamentos foram uma revelação única na história da humanidade. [Ela foi] ouvida por todo o povo judeu (aproximadamente 3 milhões de pessoas) aos pés do Monte Sinai ... . Israel é o povo que revela a vontade de D-us. Tem por tarefa e objetivo ser o coração da humanidade, uma fonte de vida espiritual para os outros povos."
- Raphael Shammaho

"Feliz é a nação cujo D-us é HASHEM, o povo que 'ELE' escolheu para Sua propriedade. Pois D-us escolheu Yaacov para SI, Israel como Seu tesouro. Feliz é o povo cujo D-us é HASHEM."
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 33:12; 135:4; 144:15

"Envia Tua luz e Tua verdade, que elas me conduzam; elas me trarão ao monte do Teu Santuário [o Judaísmo] e às Tuas moradas [os judeus]. Então ... eu Te louvarei ..., ó D-us, meu D-us!"
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 43:3, 4

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Mashiach e a paz mundial definitiva

Uma das profecias da era Messiânica mais atraente e emocionante é a paz mundial. Os profetas descrevem um estado de coisas em que o povo judeu terá plena soberania e tranquilidade em sua pátria, a Terra de Israel, e que todas as outras nações do mundo também estarão em paz. Mas, parece que uma era como esta já foi experimentada – se bem que de maneira temporária – durante o reino do Rei Salomão, quando um rei sábio e justo foi capaz de aconselhar e de unir a todo o mundo em paz. Mas, o estado idílico somente durou os quarenta anos do reinado de Salomão. O que será diferente durante a era Messiânica para que permita que isto perdure?
Há duas posições que uma pessoa pode assumir contra o mal. Uma é simplesmente se distanciar do mal, enquanto que a outra é detestar o mal com todo o nosso ser, devido a nosso intenso amor pelo bem. O não detestar o mal permite que um sutil vestígio do mesmo possa continuar. Este mero potencial pode permanecer em estado de hibernação até que chegue um momento que esteja maduro para que emerja. Durante o tempo do Rei Salomão, o bem que se irradiava do Rei e do Templo Sagrado em Jerusalém era tão intenso que causou a suspensão da negatividade em todo o mundo. Mas não havia luz suficiente para vencer completamente o lado osbcuro. Os tiranos e os opressores do mundo antigo – e as sociedades corruptas que eles governaram – se abrandaram, mas não foram transformadas. Assim, depois da morte do Rei Salomão e do cisma da nação Israelita, o mal que estava temporariamente reprimido voltou a emergir. Na era Messiânica, o bem e a santidade que se irradiaram serão tão concretos que a negatividade se fundirá ao seu passo, transformando de maneira permanente a negatividade e convertendo o mundo num lugar de completa piedade e bondade.

(VIENEMASHIAJ.)

Traduzido do espanhól por "Bnei Noach"/"Noahides"/"Noa[rri]das" estudando a bíblia JUDAICA ou Tanach (obviamente, de acordo com o Judaísmo).