É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.
OS JUDEUS SÃO OS QUE SABEM QUEM É JUDEU E QUEM NÃO O É.
É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

http://www.pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm


______________________________________________________________________________


[Blog (todo) revisado em 17/10/13.]

"[Em breve,] toda a Terra estará repleta do conhecimento de HASHEM, assim como as águas cobrem o mar."
- Ieshaiáhu (Livro Judaico do Profeta Judeu Isaías) 11:9

A vida é um aprendizado para todos, sem exceção, sempre, e para sempre. E se aprende ou pelo amor ou pela dor.
- O Blog

"O judaísmo identifica-se como um ato de D-us na história da humanidade."
- Herman Wouk

"Os 10 Mandamentos foram uma revelação única na história da humanidade. [Ela foi] ouvida por todo o povo judeu (aproximadamente 3 milhões de pessoas) aos pés do Monte Sinai ... . Israel é o povo que revela a vontade de D-us. Tem por tarefa e objetivo ser o coração da humanidade, uma fonte de vida espiritual para os outros povos."
- Raphael Shammaho

"Feliz é a nação cujo D-us é HASHEM, o povo que 'ELE' escolheu para Sua propriedade. Pois D-us escolheu Yaacov para SI, Israel como Seu tesouro. Feliz é o povo cujo D-us é HASHEM."
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 33:12; 135:4; 144:15

"Envia Tua luz e Tua verdade, que elas me conduzam; elas me trarão ao monte do Teu Santuário [o Judaísmo] e às Tuas moradas [os judeus]. Então ... eu Te louvarei ..., ó D-us, meu D-us!"
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 43:3, 4

sábado, 15 de agosto de 2015

O ABSURDO das “boas novas” do cristianismo (missionarismo) evangélico e sectário

O ABSURDO das “boas novas” do cristianismo (missionarismo) evangélico e sectário.

BS"D

Estas são as supostas "boas novas" que pregam os missionários cristãos evangélicos / messiânicos / netzarim:

1. Seu “deus” não é soberano, já que tem um inimigo chamado Satanás (ou Diabo); um anjo que juntou as suas hostes de demônios, se rebelou e agora é rival de seu “deus”.

No Judaísmo, D'us é O CRIADOR do universo e é SOBERANO em TODOS os sentidos da palavra. D'us não pode ter inimigos nem contrapartes nem segundos (bons ou maus). De outro modo não seria soberano. D'us preenche tudo. ELE é O ÚNICO e O SOBERANO!

É impossível que um anjo possa se rebelar, já que os anjos, arcanjos, querubins e outros seres celestiais não têm vontade, não têm livre arbítrio. Sua natureza não contempla poder decidir ou mudar. O satan, no Judaísmo (e no Tanach,) é um servo de D'us e foi criado para poder conceder ao ser humano a liberdade de escolher entre o bem e o mal.

O satan não pode se rebelar contra D'us. O Satan segue as regras e ordenanças de D'us. A natureza do Satan é comparável com a dos leões ou tigres ou crocodilos, como qualquer outra criatura. Poderão ser perigosos para o ser humano, mas não são inimigos de D'us.

As religiões duais, que tem um deus do bem e um arquiinimigo do mal, são pagãs. O cristianismo adotou do paganismo essa crença falsa.

2. Pecado original ou “caída da humanidade”. O cristianismo, à parte dos disparates sobre o satan, também tem "histórias em quadrinhos” e assevera que o ser humano adquiriu o pecado original e que todos nascemos com uma alma manchada.

No Judaísmo não existe tal coisa. Todo ser humano nasce com uma alma pura, e pura ela há de regressar a Seu Criador.

3. O cristianismo se aferra a um sacrifício de sangue humano para apaziguar a ira de seu “deus” e para poder estar “cool” com esse “deus”, você tem que aceitar ("pela fé", como dizem) esse sacrifício de sangue humano.

"Se o iníquo devolver o penhor que retinha, restituir o que foi roubado e andar segundo os estatutos da vida, não cometendo qualquer iniquidade - certamente há de viver, não morrerá."
Ezequiel 33:15 יחזקאל

Para O Verdadeiro D'us, O Judaico, O de Israel, são uma abominação os sacrifícios humanos. O Tanach é claro quando diz que ninguém pode morrer por outros (Ezequiel 18:20) e que o sangue humano é repugnado por D'us como oferenda. D'us proibe o assassinato. De fato, na Bíblia Judaica nunca se pede um sacrifício cruento para perdoar pecados. Os sacrifícios no Templo de Jerusalém (Beit Hamikdash) eram de sangue animal somente e até podiam ser de farinha ou cereal (Números 29:9). Além do que os sacrifícios nunca perdoavam nem purgavam os pecados, mas eram símbolos do arrependimento prévio.

O Tanach estabelece claramente qual é o processo para o perdão dos pecados:

"Lavai-vos e purificai-vos, extirpai o mal de vossas ações de ante dos Meus olhos e cessai de praticar o mal. Aprendei a fazer o bem, buscai a justiça, trazei alívio aos oprimidos, agi com justiça para com os órfãos, defendei a causa da viúva. Vinde e ponderai junto Comigo - diz o Eterno. - Ainda que vossos pecados sejam rubros como o escarlate, eles se tornarão brancos como a neve. Ainda que sejam como o carmesim, tornar-se-ão alvos como a lã."
Isaías1:16-18 ישעיהוּ 

Ademais…
"Se o iníquo devolver o penhor que retinha, restituir o que foi roubado e andar segundo os estatutos da vida, não cometendo qualquer iniquidade - certamente há de viver, não morrerá. Nenhum dos pecados que houver cometido será recordado contra ele quando fizer o que é justo e correto. Sim! Certamente viverá."
Ezequiel 33:15-16 יחזקאל

Quando o Tanach diz que “nascemos em pecado”, se refere à consequência deste e não que nascemos com uma alma manchada que requer ser “salva” com sangue humano derramado numa cruz ou num pau.

4. O cristianismo evangélico não tem nada de substancial para oferecer. Portanto sua pregação consiste em medos, temores, ameaças ou coerção baseados nos pontos acima mencionados.

Você nunca escutará um cristão evangélico falar de coisas sublimes ou profundas ou edificantes nem sequer inteligentes. O mais próximo do sublime que falará um evangélico ou outro sectário será sobre o amor, mas ainda ele está subordinado a sua pregação de medos. O suposto amor do que falam é que seu “deus” mandou o seu "filho" (ao estilo de deuses pagãos e que resulta ser ele mesmo) para se submeter a um sacrifício de sangue humano, ao estilo pagão, e te "salvar" do terror do fogo do inferno. Tal e como o faziam os seguidores de Moloch, os 
vikings e culturas como a asteca.

Numa pregação evangélica o que predomina é seu Diabo e toda uma série de ridiculices e coisas absurdas. Entre essas coisas absurdas que pregam os missionários cristãos está o seguinte:

· Existe um inferno eterno. Seu “deus” criou esse inferno para seu Diabo, seus demônios e aqueles que não sejam cristãos, preferivelmente evangélicos.

· Você tem que se converter a seu ídolo sacrificado ao estilo pagão ou você irá para esse inferno.

· Seu “deus” é um sequestrador que raptará os que creram em suas loucuras chamadas “boas novas”. Se você não está nesse grupo, ficará para sofrer na terra. Além de tomar um texto de sua bíblia de modo fundamentalista para apoiar este disparate, também tomam muitas outras coisas de modo fundamentalista. Por isso são intolerantes, fanáticos, não suportam que os não-cristãos tenham os mesmos direitos que eles. Detestam qualquer valor moral que não se ajuste ao deles.

· Os missionários cristãos evangélicos têm uma obsessão com o fim do mundo. Desde há pouco mais de 2000 anos, eles têm estado fascinados com esse tema. De tanto em tanto predizem fomes, conspirações dos governos, microfichas obrigatórias, delírios de perseguição, catástrofes, etc etc etc. Predizem e predizem, mas nada se cumpre. Isso não os amedronta. De tanto em tanto voltam a predizer e a esperar a chegada de seu ídolo ensanguentado e a sucessão de toda classe de calamidades. Há os que até anseiam ser os futuros mártires de sua fé idólatra.

Numa pregação evangélica você sempre escutará estas coisas. Os cultos cristãos tendem a ser (no melhor dos casos) aterradores e exóticos, cheios de histerias, gritos, choramingos, "emocionalismos", balbucios que eles chamam de "línguas" e "profecias", e sugestões para que no final, se você não está bem informado, você se espante e corra para o palco para se “entregar” e se converter a seu messias-ídolo sacrificado.

Ah claro… dirão a você que estão te evangelizando e que o que te oferecem são “boas novas”... "Whatever", como dizem os gringos...

(ORAJ HAEMET.)

Traduzido do espanhol por "Bnei Noach"/"Noahides"/"Noa[rri]das" estudando a bíblia JUDAICA ou Tanach (obviamente, de acordo com o Judaísmo).

Mashiach já.