É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.
OS JUDEUS SÃO OS QUE SABEM QUEM É JUDEU E QUEM NÃO O É.
É O JUDEU (e não o não-judeu) QUEM DEFINE O QUE É JUDEU E QUEM É JUDEU.

http://www.pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/1216626/jewish/Quem-Judeu.htm


______________________________________________________________________________


[Blog (todo) revisado em 17/10/13.]

"[Em breve,] toda a Terra estará repleta do conhecimento de HASHEM, assim como as águas cobrem o mar."
- Ieshaiáhu (Livro Judaico do Profeta Judeu Isaías) 11:9

A vida é um aprendizado para todos, sem exceção, sempre, e para sempre. E se aprende ou pelo amor ou pela dor.
- O Blog

"O judaísmo identifica-se como um ato de D-us na história da humanidade."
- Herman Wouk

"Os 10 Mandamentos foram uma revelação única na história da humanidade. [Ela foi] ouvida por todo o povo judeu (aproximadamente 3 milhões de pessoas) aos pés do Monte Sinai ... . Israel é o povo que revela a vontade de D-us. Tem por tarefa e objetivo ser o coração da humanidade, uma fonte de vida espiritual para os outros povos."
- Raphael Shammaho

"Feliz é a nação cujo D-us é HASHEM, o povo que 'ELE' escolheu para Sua propriedade. Pois D-us escolheu Yaacov para SI, Israel como Seu tesouro. Feliz é o povo cujo D-us é HASHEM."
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 33:12; 135:4; 144:15

"Envia Tua luz e Tua verdade, que elas me conduzam; elas me trarão ao monte do Teu Santuário [o Judaísmo] e às Tuas moradas [os judeus]. Então ... eu Te louvarei ..., ó D-us, meu D-us!"
- Tehilim (Livro Judaico dos Salmos) 43:3, 4

sábado, 15 de agosto de 2015

SER JUDEU, UMA QUESTÃO DE FÉ

BS"D

SER JUDEU, UMA QUESTÃO DE FÉ

Qual é a forma correta de se referir ao aparecimento de dúvidas na fé? Há quem sustenta que esta classe de dúvidas é um fenômeno natural entre pessoas que possuem uma independência de pensamento e que isto testemunha uma luta autêntica com os temas relacionados com a fé. O chassidismo opina que as dúvidas de fé são completamente negativas. Como pode aparecer na mente do judeu duvidar sobre isto, mesmo um instante, sobre a existência do Criador e a autenticidade da Torá? Acaso podemos estar de acordo com o fato de que dentro do coração do judeu existem, ainda que seja ocultamente, pensamentos de negação? Como eliminamos estas dúvidas? Aparentemente, a solução é conseguir explicações e respostas que neguem essas dúvidas e confirmem a fé. A verdade é que desta forma não existe nenhuma certeza de que as dúvidas desapareçam. A mente, por natureza, não é definitiva nem absoluta. A objeção mais esmagadora deixa sempre uma pequena rachadura para a opinião oposta. A mente pode objetar que existe uma possibilidade maior de que a verdade seja como um dos lados. A mente não pode anular completamente a segunda possibilidade, consequentemente não possue sequer a força para eliminar as dúvidas.
Os ensinamentos do chassidismo ensinam que as dúvidas na fé são como seu nome o diz, debilitamento da fé. Quando a fé é forte e poderosa, aflora na alma com força e poder, não subsiste nenhuma dúvida. As dúvidas se formam quando a fé é débil, tênue, muito abstrata. Sobre um terreno assim crescem dúvidas. O problema não é do intelecto, mas do poder da fé. As dúvidas ensinam sobre o debilitamento da fé, e o fortalecimento da fé provocará automaticamente o desaparecimento das dúvidas. Certo chassid se queixou frente ao ‘Tzemach Tzedek’, terceiro Rebe do Chabad, que lhe caem dúvidas na fé. Perguntou-lhe o Rebe: “E que te importa?" Gritou o chassid: "Rebe! Eu sou judeu!" Disse-lhe o Rebe: “Então está bem”... E também se conta que um judeu chegou ao ‘Tzemach Tzedek’ e se queixou que tem dúvidas de fé. Perguntou-lhe o Rebe: “Tu tens medo do Zar?” Respondeu-lhe o homem: “Sim”. Perguntou-lhe novamente: “Acaso viste alguma vez o Zar?” Disse-lhe o homem: “Não, nunca o vi”. Perguntou o Rebe: “Então, por que lhe temes, qual é a prova que ele existe?” Disse-lhe o homem: “Meu irmão me contou que o viu uma vez”. Complementando, o Rebe perguntou: “Também a mim me crês?” Respondeu o judeu: “Claro”. Disse o Rebe: “Então”...
Estas histórias cristalizam a forma de tratamento do chassidismo sobre os aparecimentos de dúvidas. Ocupar-se menos em explicações filosóficas, e mais em fortalecer a simples fé. E como fortalecemos a fé? Por meio da Torá; e mais exatamente – por meio da parte interna da Torá, o Chassídico. A Torá é a sabedoria do Santo Bendito Seja. É o alimento da alma. Quando um judeu estuda Torá corretamente e se apega a Sua Santidade – se fortalecem nele os poderes da alma, e automaticamente se fortalece também a fé.
Embora os ensinamentos do chassidismo se ocupam em muitas questões de fé em Hashem e explicam-nas com muita lógica e ilustração, a verdadeira e interna essência não é o intelecto. É a parte interna da Torá, descobrir a alma de cada coisa. O chassidismo embora invista no intelecto e nós o estudamos de forma tal que possa ser entendido por nossa mente, a mente não é senão uma forma de expressão do chassidismo e não é esta a que demarca sua essência. O chassidismo, em essência, é a alma – a alma da Torá.
Milhares de judeus que tinham dúvidas de fé sentiram imediatamente a força do chassidismo. Revelaram que, depois de um tempo de estudo dos ensinamentos do chassidismo, as dúvidas se derreteram; elas simplesmente desapareceram. Não só porque o chassidismo lhes proveu respostas intelectuais às dúvidas (e também o chassidismo
faz isto com muito êxito), mas essencialmente porque este fortaleceu sua alma e sua fé e automaticamente não subsistia outro lugar para as dúvidas. Esta é a força maravilhosa dos ensinamentos do Baal Shem Tov, que elimina as dúvidas e ilumina a alma. Esta é a preparação para os tempos que estamos por começar a viver donde todos verão a Divinidade ante seus olhos e então desaparecerão todas as dúvidas.

(VIENEMASHIAJ.)

Traduzido do espanhol por "Bnei Noach"/"Noahides"/"Noa[rri]das" estudando a bíblia JUDAICA ou Tanach (obviamente, de acordo com o Judaísmo).

Mashiach já.